cronica_ze - CASA DE 28

cronica_ze

CRÔNICA: ZÉ

Estava parado na Paulista, ali na frente do Franz Café, no Conjunto Nacional, quando me deparei com formigas gigantes. Calma, eram apenas artesanatos de um homem que ali estava com a chave na ignição prestes a acelerar o motor da garganta e começar a tagarelar. O pior (nunca sei o por quê de usarmos essa expressão, já que não é pior que nada e sim bom) é que sempre gosto de ouvir pessoas desconhecidas falarem.